Sou uma impostora!

Você pode nunca ter ouvido falar sobre a síndrome da impostora, mas é possível que já a tenha sentido.

A sensação de que o sucesso atingido não foi merecido é bastante comum, especialmente entre as mulheres.

Essa síndrome infelizmente, faz parte do dia a dia de profissionais, estudantes, mães e filhas que, na verdade, têm plena capacidade e talento para estar onde estão.

De modo geral, essa síndrome está diretamente relacionada às ideias que o patriarcado construiu sobre a figura da mulher, uma imagem que alimenta o machismo no pensamento social e contribui profundamente para a destruição da autoestima feminina.

Numa cultura patriarcal, tudo que remete a mulher é inferior e não tem importância, especialmente se comparada ao que um homem pode desempenhar, por isso, suas habilidades e competências devem ser frequentemente questionadas.

Como saber se você sofre desta síndrome? Aqui vai alguns sinais que podem lhe ajudar:

  • Sentimento de não pertencimento, de não merecer estar onde está (sucesso);
  • Procrastinação;
  • Autodepreciação;
  • Autocrítica excessiva;
  • Comparação;
  • Perfeccionismo;
  • Medo de se expor, da avaliação do outro;
  • Necessidade de sempre agradar;

O diagnóstico real só poderá ser feito por um profissional, mas estas dicas pode lhe direcionar sobre a necessidade ou não de procurar ajuda.

Todo o stress provocado poderá se tornar em ansiedade generalizada ou até noutra síndrome a de Burnout. Portanto avaliar se você sofre ou não da síndrome de impostora e o quanto ela prejudica seu desempenho profissional e ou sua saúde emocional é muito importante.

Bora abandonar essa sensação desagradável e se apossar do sentimento de merecimento e autoconfiança?

Um forte abraço!!!

Artigos relacionados

O PAPEL DAS EMOÇÕES NA PROCRASTINAÇÃO

Procrastinação é um problema comum, especialmente entre empresárias e empreendedoras, frequentemente mascarada por desculpas como “falta de tempo” ou “agenda lotada”. Este texto explora como emoções como o medo do fracasso, ansiedade sobre o desempenho e desconforto com a incerteza influenciam o adiamento de tarefas. Também oferece estratégias práticas para reconhecer e gerenciar essas emoções, desde a prática da autoconsciência até o estabelecimento de um ambiente de trabalho propício. Superar a procrastinação começa com o entendimento e o controle das emoções subjacentes.

Comentários